quarta-feira, 7 de maio de 2014

Tarrus no país da cobardia






















Como a tormenta que se não adivinha, a chuva miúda ia borrifando nossos dias com incertezas e apreensões aos magotes  e mesmo assim íamos seguindo nossas vidas...
A morrinha que caía mais nuns dias do que noutros deixou de o ser e rapidamente se está a transformar em  chuva grossa,  a nós só nos resta esperar que não vire uma tempestade destruidora....
O desfecho  é mais que sabido e caminhamos sim para aquilo que nós, a maioria,  não queríamos que acontecesse mas que no intimo de cada um de nós,  sabíamos que iria acontecer, a guerra  ...









Como uma máquina gigante, surreal, que surge no horizonte da ficção cientifica e esmaga tudo à sua passagem ou como o ciclone que girando a uma velocidade alucinante segue lentamente moendo tudo à sua passagem, esta borrasca promete nos deixar de novo de rastos, esmagados contra o chão, nus, sem direito a sonhar ou a querer...
As rajadas já varrem vidas faz tempo mas agora a fúria já aumentada grita com voz de trovão e nós nos agachamos, nos estendemos colados ao asfalto, nos escondemos em baixo dos autocarros enquanto os morteiros entram em acção e vomitam desprezo, despeito, desrespeito, desgraça....








A dignidade de cada um de nós está moribunda e junto com ela o respeito por nós próprios há muito que apodreceu e não existe medicina nem religião que sare essa cobardia, essa má formação congénita de um  provável cidadão  de um país que nasceu doente...
O cidadão sonhado, de um  país que ainda não existia, anunciado com o fervor de ser o seu maior anseio, por  Craveirinha, continua adiado....
Somos um povo humilde e submisso, que grilhetas nos colocaram nossos ancestrais que não conseguimos gritar a nossa indignação, lutar  e ao invés disso  nos deixamos violar?









Porque não somos guerreiros?
Porque não nos manifestamos e não lutamos pelos nossos direitos?
Porque nos agachamos e nos escondemos heróis atrás do teclado e depois  mostramos sorrisos falsos, comprometidos, convenientes  em público ?
Porque não fazemos nada e aceitamos ser cúmplices conscientes  dos crimes dos nossos algozes?
Assim sendo devemos aceitar que temos o país e o governo que merecemos !!
Somos fracos, sem personalidade e sem sentido de pátria !!!
Somos cobardes e como tal temos o país no estado em que está, um país raptado, rapinado,  à beira do precipício   !!







quinta-feira, 1 de maio de 2014

Gabo de Macondo para Maputo ...







                                  










 Macondo cresce a partir de um pequeno assentamento num lugar isolado e com quase nenhum contacto com o mundo exterior, para eventualmente tornar-se num grande e próspero lugar que  antes era apenas um bananal. O estabelecimento do bananal vai levar Macondo à queda, a que se segue  uma gigantesca tempestade de vento que vai limpa-la do mapa. Enquanto a cidade cresce e até cair , as diferentes gerações da família Buendía desempenham um papel importante, contribuindo para seu desenvolvimento e para o seu fim.












Segundo a Ministra, na administração pública, defesa e segurança, a taxa de reajuste salarial é de oito por cento, um incremento de 222,40 MT, fixando o salário mínimo em 3.002,4 MT.
No sector da pesca semi-industrial, a taxa de reajuste é de 11,1 por cento, um acréscimo de 317 MT, o que eleva o salário mínimo para 3.167 MT, enquanto o da pesca de Kapenta o reajuste é na ordem de oito por cento, correspondente a um incremento de 212 MT, fixando o salário mínimo em 2.857 MT.
Para as pedreiras e areeiros, o salario mínimo passou para 4.316 MT, resultante do reajuste de 11 por cento, o correspondente a 428 MT, enquanto o subsector de salinas o reajuste de 3,15 por cento aumentou 122,47 MT, elevando o mínimo para 4.010 MT.
etc etc etc...
O salário dos médicos não sofreu nenhum reajuste
                                                                 1 USD = 32 MZN









                                                                                                              ciganos em Macondo





A cidade de Macondo foi fundada por José Arcadio Buendía e os membros de sua expedição, composta de vários amigos, esposas, filhos, animais de estimação e todos os tipos de utensílios
O seu objectivo era cruzar a oeste de montanhas em busca de uma saída para o mar. O sítio onde nasceu Macondo era o lugar onde uma noite, depois de ter vagado  26 meses pelo mundo, José Arcadio Buendía sonhou que estava  numa cidade barulhenta, com casas de paredes de espelho, cujo nome era Macondo








Na Assembleia da Republica os representantes do “povo” ganham, no mínimo, 68.273,50 meticais. Isto é, um pouco mais do que 27 vezes o valor pecuniário que é pago ao cidadão que menos ganha no país.









 A casa dos Buendía é ampliada  várias vezes para acomodar descendentes, cônjuges e também os visitantes . 
O Laboratório Alquimia situava-se na mesma.






A Assembleia da República aprovou ontem, em definitivo, a proposta de lei que fixa as regalias do Presidente da República, em exercício e após a cessação de funções.
“uma viagem anual de férias para qualquer parte do mundo em voo de primeira classe e ajudas de custos” para o presidente cessante “cônjuges e filhos menores ou incapazes. A lei aprovada determina que, após a cessação de funções, o presidente venha a usufruir de um subsídio de reintegração equivalente a “dez anos de vencimento-base actualizado”
 “verba destinada à manutenção e equipamento da sua residência, entre outros subsídios”
o Estado deverá reservar 46,2 milhões de meticais para garantir “dignidade” ao Chefe de Estado em exercício e cessante









Macondo é destruída por um ciclone e na sua destruição também morre o último descendente da família Buendía.,,